sábado, 3 de julho de 2010

E eu estou andando sem demora, adeus você

sábado, 3 de julho de 2010

Mas eu juro que eu não procuro por suas lembranças, mas parece que suas lembranças não cansam de me procurar. Prometi que dessa vez tomava jeito, que dessa vez faria diferente, que dessa vez eu seguiria meu caminho e assim o tenho feito desde o dia em que você partiu sem me dizer adeus.
Mas machuca demais saber que não são seus olhos que me olham dormir, que não são seus olhos que me acordam pela manhã.
Mas fica um vazio não sentir seu cheiro no meu travesseiro, seu perfume inconfundivel.
Mas é tão estranho beijar outra boca, parece que nada encaixa, e todas as coisas que eu tenho pra te dizer já foram ditas pelo silêncio absurdo que ficou entre nós.
Mas machuca demais não poder te tocar, não te fazer um carinho não pegar na sua mão quando o medo me aflinge na calada da noite.
Mas parece que você levou a minha alma juntamente com você, ficou apenas um corpo morto e um coração sedento, fraco, agonizante.
E meus dias parecem os mesmos só mudam o número e mês no calendário, meus passos seguem sem firmeza e pesados apenas deixam pegadas invisevéis no chão, pegadas essas iguais as que você deixou em mim.
Mas eu juro que eu vou parar de fazer juras que não irão se cumprir.

1 comentários:

victor& malú

nossa, que massa *-*

seguindo

http://equaseumvideoblog.blogspot.com/

 
Versos em folhas secas ◄Design by Pocket, BlogBulk Blogger Templates