quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Eu te amo pra sempre

quinta-feira, 20 de agosto de 2009
Eu era realmente feio ela também era, nós dois eramos estranhos, inteligentes, engraçados eramos um só meu primeiro amor eu tinha 11 anos ela também , ela morava na casa do lado nossos pais não eram amigos nem inimigos apenas vizinhos .
Todos os dias a gente ia juntos pra escola falavamos sobre tudo,
então eu dizia te amo e ela também dizia te amo pra sempre me despedia com um beijo em sua face e ia para minha sala e deixava minha pequena ir pra sala dela.
Foi então que um dia ela se mudou para outro bairro ainda na mesma cidade agora estavamos com 13 anos eu não via ela todos os dias ela tinha ido para outra escola, mas nos juramos amor eterno combinamos de todo dia deixar um bilhete escrito ''eu te amo pra sempre'' , deixavamos o bilhete escondido na parede da casa da Dona Olivia, o tijolo estava solto era lá dentro que meu amor estava.
Foi assim durantes dois anos, dois anos sem ver minha pequena
eu tinha que sair mais cedo pra chegar na escola em tempo então meu bilhete era o primeiro e quando regressava para casa eu pegava o bilhete da minha pequena, lógico que minha pequena pegava o meu bilhete, todos os bilhetes iguais ''eu te amo pra sempre''.
Foi então que um dia eu peguei um bilhete escrito apenas te amo, no dia seguinte a mesma coisa , no outro a mesma e mesma coisa. Até que fizemos 16 anos então deixei o meu bilhete
'' te amo pra sempre '', quando voltei para pegar o meu bilhete para minha ingrata surpresa não tinha um bilhete da minha pequena , o meu bilhete ainda estava lá . Eu fiquei louco o que acontecera com minha pequena para não responder meu bilhete, então deixei meu bilhete lá quem sabe ela não fosse lá mais tarde pega-lo, naquela noite não dormi, juro meus olhos doiam de tonto sono mas minha cabeça não parava de pensar na minha pequena o que acontecera com ela pra não responder meu bilhete.
No dia seguinte caprichei na caligrafia peguei um papel cor de rosa que eu tinha e escrevi
''te amo pra sempre''
quando cheguei na casa de Dona Olivia e retirei o tijolo vi que tinha um bilhete lá meu coração acelerou minhas pernas ficaram tremulas , mas não era um bilhete de minha pequena era o meu bilhete então deixei os dois bilhetes lá dento da parede , e foi assim durante um meses até que eu cheguei na casa de Dona Olivia e vi uma pilha de bilhetes meus no chão havia tantos bilhetes que estavam até caindo.
Véspera dos meus 17 anos minha pequena havia feito 17 anos a 5 dias , então resolvi ir até a casa dela falar com ela ver o que havia acontecido , sai da escola e fui direto para sua casa , quando lá cheguei meu mundo havia desabado, minha pequena estava linda , cabelos longos, um rosto angelical em um corpo de mulher, nem parecia a menina estranha de 6 anos atrás , eu continuava feio estava até pior era magro, estranho vistia-me mal e para completar usava aparelho e tinha muitas espinhas , mas mesmo assim os olhos da minha pequena eram os mesmo eu ia falar com ela, mas assim que dei o primeiro passo rumo ao meu amor veio um cara beijando os lábios de minha pequena, ela o beijou e o braçou .
Eu juro , não conseguia nem andar nem fazer nada fiquei sem movimentos , então lentamente os vi entrar para a casa da minha pequena , voltei pelo caminho da casa da Dona Olivia peguei todos meus bilhetes e cheguei em casa me tranquei no meu quarto , nosso primeiro beijo, nosso primeiro abraço não era mais nosso, ela tinha outro ela havia me esquecido , chorei como nunca havia chorado em toda minha vida, senti uma dor que não sei explicar então decidi que era hora de crescer , joguei fora todos os meus bilhetes que havia recolhido , peguei todos os bilhetes que ela havia me mando e fui até a casa da minha pequena no horário de escola dela não queria encontra-la e tornar mais triste e dolorosa minha missão coloquei em sua caixa de correio todos os bilhetes dela e meu último bilhete escrito. TE AMO PRA SEMPRE.
E uma última lágrima escorreu de meus olhos , e então voltei a casa de Dona Olivia e peguei o tijolo solto que por anos guardou nossos bilhetes, meus bilhetes , peguei o tijolo e guardei ele dentro de uma caixa junto com o primeiro bilhete que recebi de minha pequena.
Fazem 63 anos desde então e as vezes abro essa caixa para manter viva as lembranças sejam elas boas ou não .

2 comentários:

bruno

MEU DEUS ISSO QUE ERA AMOR DE VERDADE EU TENHO UMA HISTORIA TIPO ASIM MAIS PREFIRO NAO COMENTAR

Carla Mancini

Muito obrigada por apreciar meu blog Bruno

 
Versos em folhas secas ◄Design by Pocket, BlogBulk Blogger Templates